Territórios de Sergipe discutem Congresso Camponês.

Territórios de Sergipe discutem Congresso Camponês.

 

Desde meados de 2011, diversos movimentos que tem afinidade com o Campo, intitulado  “FORUM DE ARTICULAÇÃO PERMANENTE DO CAMPO” que reúnem periodicamente para debater e encaminhar os desafios da agricultura camponesa em Sergipe.

Na ultima quinta dia 05, no Centro de Capacitação Canudos (Assentamento Quissamã)

as diversas organizações de Sergipe reuniram para discutir o Congresso Camponês que acontece de 20 a 22 de agosto em Brasília.

Durante as discussões as entidades presente perceberam a importância em realizar uma Conferência Camponesa em Sergipe ficando agendada a Conferencia Camponesa de 08 a 10 de agosto em Aracaju.

Os Integrantes do Fórum, confirmaram um seminário para discutir o consumo de agrotóxico em Sergipe a ser realizado dias 14 e 15 de julho em Aracaju, onde ficou acertado a importância da participação do CONSEA e de Grêmios Estudantis.

Diante das dificuldades enfrentada pela política Territorial da SDT/MDA os Assessores/Articuladores dos territórios de Sergipe que também integra o Fórum, colocou os desafios da política de territorialidade no Estado e convidou a todos para participar da reunião que acontecerá dos territórios de Sergipe nos dias 31/07 e 01/08, em Sergipe. “Na ocasião vamos planejar em rede e ver encaminhamentos que aproxime o governo de Sergipe para o debate” enfatizou a Assessora, Marília do Território Sul Sergipano.

Por fim os participantes discutiram os desafios da agricultura através de dividas agrárias, o presidente do CMDRS de Poço Redondo trouxe ao Fórum diversos processos onde o BNB e BB através da justiça esta pedindo a execução de bens individual ou coletivo dos produtores, “acontece que os bens adquiridos pelas associações foram via MDA, PRONESE ou subvenção, e os produtores não pagaram devido a estiagem ou calote” disse Feitosa.

Participaram da reunião: Territórios Rurais, MST, FETASE, Levante Popular, MMTR, MMC, MMTR, CDJDC, MPA, FEACON, CMDRS’s, Comitê Nacional Contra os Agrotóxicos, Coletivo de Juventude, MOTU. 

Por: Petrônio