Sergipe realiza CEATER com participação massiva de delegados oriundas dos Territórios.

Sergipe realiza CEATER com participação massiva de delegados oriundas dos Territórios.

 

Nos dias 13 e 14 de março Sergipe realizou sua CEATER (Conferencia Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural), com a participação de delegados advindos das CTATER (Conferencia Territorial de Assistência Técnica e Extensão Rural).

Durante a abertura da CEATER os representantes da mesa destacaram a importância do homem no campo, produtos limpos, escola, lazer.

Para o Secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural (Seagri), José Macedo Sobral, destacou a importância em “utilizar a mídia principalmente às rádios comunitárias para a divulgação e publicidade das políticas voltadas a ATER”.

O deputado João Daniel enfatizou o “descaso da ATER no Brasil vivido por 512 anos, com a entrada do presidente Lula a coisa é outra, já criou a lei de ATER, trás para nos essa responsabilidade em demandar nossas reivindicações, mas é inadmissível em saber que a pobreza estrema no campo prevalece”, frisou o deputado e Sem Terra.

O delegado do MDA em Sergipe falou da importância da conferencia e em eleger delegados na CEATER engajados na causa, e que represente bem Sergipe.

O Diretor de ATER do MDA, Argileu Martins frisou que a partir do “Governo Lula com a política de ATER as pessoas estão vivendo mais felizes, significando 4,8 milhões de pessoas que deixaram a pobreza, pelas políticas públicas introduzidas de forma efetiva, incluindo-se a reforma agrária, luz no campo, credito, seguro safra, sementes selecionadas, disse Argileu.

Após debater em grupos os 05 (cinco) eixos temáticos e consolidados na plenária foi-se homologados os 15 (quinze) delegados que representarão Sergipe na CNATER (Conferencia Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural) que acontecerá de 23 a 26 de abril em Brasília.

Após homologado os delegados, o Assessor Técnico do Baixo São Francisco fez uso da fala contestando a posição da Comissão Estadual pelo descumprimento da proposta discutidas nas reuniões na Comissão “tínhamos combinado que a Comissão de ATER teria assento nato para a CEATER a qual contestei, dizendo que preferia sair delegado da base e foi impedido por Adailton DFDA, Antônio Almeida FETASE, e Técnicos da EMDAGRO (Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe), outro fato combinado foi a distribuição por territórios, aconteceu que as entidades pensaram apenas no próprio umbigo acontecendo que o Território do Baixo São Francisco sai daqui apenas com 1 (um) delegado enquanto outros territórios com vários,” finalizou Petrônio.